WhatsApp Image 2021-08-16 at 12.47.28
WhatsApp Image 2021-08-16 at 12.30.58
WhatsApp Image 2021-08-16 at 12.30.57 (2)
WhatsApp Image 2021-08-16 at 12.30.57 (1)
WhatsApp Image 2021-08-16 at 12.30.57
previous arrow
next arrow

Deputado Dr. Vicente defende suspensão da cobrança do financiamento estudantil durante pandemia

A POLITIZAÇÃO DA CIÊNCIA
17 de abril de 2020
Dr. Vicente participa de videoconferência com empresários de Corupá
17 de abril de 2020

Deputado Dr. Vicente defende suspensão da cobrança do financiamento estudantil durante pandemia

O Plenário da Assembleia Legislativa aprovou, durante a sessão virtual desta quarta-feira (15), moção do deputado estadual Dr. Vicente Caropreso (PSDB) pela suspensão da cobrança das parcelas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) enquanto durar o estado de calamidade pública decorrente da pandemia do novo coronavírus.

A moção pede a aprovação do Projeto de Lei 1111/2020, em tramitação na Câmara dos Deputados, que suspende a cobrança das parcelas do Fies e proíbe a interrupção do pagamento de bolsas de estudo da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), vinculada ao Ministério da Educação e pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), órgão ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

“Garantimos a manifestação do Legislativo catarinense na expectativa de que o projeto seja aprovado rapidamente, beneficiando milhares de estudantes catarinenses e de todo o país que estão tendo a renda familiar impactada pela pandemia e as medidas de isolamento”, argumenta Dr. Vicente. Ele também aponta como fundamental a manutenção das bolsas de pesquisa nesse momento em que várias universidades estão focadas no desenvolvimento de estudos e equipamentos voltados ao enfrentamento da epidemia, como é o caso dos testes de contaminação.

Manutenção das pensões de deficientes

Preocupado com os impactos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus, o deputado Dr. Vicente Caropreso também apresentou indicação ao governador Carlos Moisés para que o governo catarinense mantenha o pagamento regular das pensões às pessoas com deficiência severa.

A legislação catarinense garante o pagamento de um salário mínimo à pessoa com deficiência mental severa, com hanseníase e com epidermólise bolhosa. Cerca de 2.4 mil pessoas recebem esse tipo de pensão, garantida por lei estadual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *