Últimas postagens

Escassez de anestésicos e vacinação de deficientes serão pontos de reunião do deputado Dr. Vicente com secretária de Saúde

Na próxima terça-feira (4) o deputado estadual Dr. Vicente Caropreso (PSDB) terá reunião com a secretária de Estado da Saúde, Carmem Zanotto. Em pauta a inclusão de deficientes no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19. A presidente da Federação Catarinense das Apaes, Alice Kuerten, também participará do encontro. O parlamentar irá tratar ainda da escassez de medicamentos anestésicos para tratamento de pacientes com Covid-19 e realização de cirurgias. Em seu perfil no Twitter, o deputado afirmou que a situação é grave e que os médicos anestesistas “realizam trabalho heroico” para driblar a falta dos medicamentos. 

Conforme o deputado, que é médico neurologista e vice-presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, o gargalo atual não é mais a falta de leitos, mas sim de sedativos. Algo que impossibilita também a retomada de cirurgias eletivas, suspensas devido à pandemia. Somente no Sistema de Regulação da Secretaria de Estado da Saúde, que é onde são cadastrados os pacientes do Sistema Único de Saúde, há mais 95 mil pessoas esperando um procedimento médico. O número pode ser muito maior somando-se os dados isolados de prefeituras. “São dezenas de milhares de pessoas à espera de uma cirurgia. É preciso entender que uma situação simples pode se tornar muito grave devido à demora em realizar uma cirurgia.”

Deficientes devem ter prioridade na vacinação

Membros da  Comissão de  Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Assembleia Legislativa e representantes da principais entidades do setor aprovaram na última terça-feira (27) o encaminhamento de uma indicação à governadora interina, Daniela Reinehr (sem partido), e à secretária de Estado da Saúde para a inclusão das pessoas com deficiência no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19. “Temos a missão de esclarecer que uma pessoa com deficiência tem mais dificuldade de se defender dessa doença, por isso é mais vulnerável ao vírus. Uma portaria do Ministério da Saúde já incluiu a pessoa com síndrome de Down. Mas há muitos outros que também precisam ter acesso prioritário à vacina devido à gravidade da sua deficiência”, afirmou o deputado, que tratará do assunto com a secretária Carmen Zanotto na próxima semana.

Santa Catarina possui 21% de sua população com algum tipo de deficiência. A Lei Estadual 17.292/2017 já estabelece o atendimento prioritário a esse segmento da população na vacinação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top