WhatsApp Image 2021-08-16 at 12.47.28
WhatsApp Image 2021-08-16 at 12.30.58
WhatsApp Image 2021-08-16 at 12.30.57 (2)
WhatsApp Image 2021-08-16 at 12.30.57 (1)
WhatsApp Image 2021-08-16 at 12.30.57
previous arrow
next arrow

Mais de 400 pessoas participam do Seminário Autismo e Seus Desafios

Deputado cumpre agenda em cidades do Planalto Norte
6 de setembro de 2019
Ação de Caropreso garante novas vagas de estágio para pessoas com deficiência na Alesc
22 de outubro de 2019

Jaraguá do Sul sediou nesta quinta-feira (26) uma capacitação para profissionais que trabalham no atendimento às pessoas autistas. O seminário “Autismo e seus Desafios” foi promovido pela Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência e pela Escola do Legislativo Deputado Lício Mauro da Silveira, reunindo mais de 400 pessoas da região e teve como grande meta ampliar a inclusão de quem tem a condição.

O presidente da comissão, deputado Dr. Vicente Caropreso (PSDB) comenta sobre a importância do diagnóstico precoce e também sobre a necessidade de se promover eventos de capacitação como este. “O autismo tem sido cada vez mais diagnosticado e os processos de investigação genética estão aí, mais de 80% dos casos tem origem genética. Então o acesso dessas pessoas no sistema de saúde para que se faça o diagnóstico é muito importante, para a prevenção principalmente. E o mundo autista requer um conhecimento isolado de cada caso, por isso temos que nos preocupar com formação de profissionais e o acolhimento no dia a dia na sociedade, e é por esse motivo que promovemos seminários como esse em todo o Estado”.

Durante a abertura do seminário, a Associação dos Amigos do Autista de Jaraguá do Sul (AMA) recebeu uma homenagem pelos 28 anos de fundação e os serviços prestados à comunidade.

A presidente da Associação dos Amigos do Autista de Jaraguá do Sul (AMA), Leila Modro, falou sobre a importância do evento. “É justamente para que professores, psicólogos e pedagogos que trabalham com as crianças possam ter a sensibilidade de perceber certos comportamentos típicos do TEA.” São sutilezas que, no dia a dia, se consegue perceber antes de encaminhar a criança a um psiquiatra infantil ou a um neurologista infantil fazerem o diagnóstico e confirmar ou não se existe a doença.

Na parte da manhã os participantes assistiram a palestra do neurologista pediátrico Dr. Egon Frantz. A palestra da tarde teve um convidado muito especial. O escritor, palestrante, radialista, instrumentista e cantor Marcos Petry, que é autista de alto funcionamento, veio dar um grande exemplo de superação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *